Mudanças e surpresas

A biblioteca em que trabalho está pra mudar de local. Dos 50m² atuais saltaremos para 200m². Umas das coisas que tem chamado minha atenção durante todo esse processo de mudança e adaptação ao novo espaço, é que muita gente resolveu comprar briga a favor da biblioteca.

Não foram uma nem duas vezes que ouvi em reuniões, professores e até mesmo o próprio gerente defendendo a biblioteca e mais: persuadindo outros a fazê-lo também. Minha reação é de surpresa e também reconhecimento de um lugar dentro da instituição que pode funcionar como mais que um suporte: um local de geração e compartilhamento de conhecimentos.

A mim resta retribuir todo esse apoio e não me acomodar. Momentos virão em que passarei por apertos e incompreensões inerentes a qualquer um; mas que a recepção já foi pra lá de boa e que serviu como termômetro para analisar como a biblioteca é vista e sua importância para a instituição, disso não tenho dúvidas.

Que venham os desafios!

Anúncios

Prefeito de Manaus torna sem efeito nomeação do chefe do Núcleo de Biblioteca da PGM

Tags

,

Fonte: Jornal A Critica

A nomeação do filho da vereadora Glória Carratte (PSD), Michell Carratte, para o cargo de chefe do Núcleo de Biblioteca da Procuradoria Geral do Município (PGM) foi invalidada pelo prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto. O ato será publicado na edição desta terça-feira (9) do Diário Oficial do Município.

De acordo com a secretaria municipal de comunicação, Arthur decidiu tornar sem efeito a nomeação de Michell após ouvir os argumentos do Conselho Regional de Biblioteconomia.

Michell foi nomeado por meio de decreto assinado pelo prefeito Artur Neto e publicado no dia 26 de junho no Diário Oficial do Município (DOM).

Segundo a presidente do Conselho Regional de Biblioteconomia 11ª Região, Thais Trindade, a nomeação vai contra a legislação que rege a profissão, uma vez que é obrigatória a formação do servidor no curso de Biblioteconomia. A nomeação tem provocado uma mobilização entre os bibliotecários nas redes sociais.

Comentário: Mais uma batalha ganha contra os políticos oportunistas que no afã de colocar apadrinhados na esfera publica, atropelam leis e regras básicas. Meus parabéns aos bibliotecários amazonenses pela resistência e coragem.

Tamo de volta!

Tags

Já estava meio que esquecendo deste meu blog. Parte do meu desânimo se dava por causa da minha “não experiência” profissional, uma vez que lá estava eu formado e ainda na labuta por uma colocação profissional. Não vamos negar que quem estuda quer no mínimo colocar em prática os conhecimentos, passar apertos, se “virar nos 30” etc, e de quebra ganhar um dindim.

Enfim, agora como bibliotecário do Senai de Itabira-MG, sinto-me mais à vontade para voltar a compartilhar com os leitores minhas impressões e também trazer a tona temas relevantes, ou nem tanto. O que vale é seguir em frente e não levar a vida tão a sério! hehe

Então: bem-vindos novamente!

Lei 12.244: algumas considerações

Tags

A lei 12.244/2010 que estabelece a criação e manutenção de bibliotecas em instituições públicas e privadas de ensino num prazo máximo de 10 anos ainda engatinha , porém , já emite sinais claros das dificuldades que enfrentará pela frente.

A primeira – e talvez a mais perniciosa -, é a “rasteira” aplicada pelo deputado federal Sandes Júnior (PP/GO) com a PLC nº 28/2012, que altera a LDB – Lei de Diretrizes e Bases da Educação – isentando as instituições particulares da obrigatoriedade do cumprimento da nova lei. É claro que há um lobby ganancioso das instituições privadas de ensino de todo o país por trás disso.É fato consumado.

Não discuto aqui a questão da “reserva de mercado” que a aplicação da lei possivelmente trará. É notório que nem mesmo haverá profissionais em número suficiente assim para ocupar as “futuras” vagas. Resumir a discussão apenas sob o ponto de vista do mercado é muito superficial.

O que se deve temer é que a Lei 12.244 seja mais uma a engordar a famigerada indústria de fabricação de “letras mortas” no qual este país está habituado.

Só para se ter uma ideia , o site ‘Todos pela Educação’ fez um levantamento onde se constatou que seria necessária a construção de quase 130 mil bibliotecas até 2020, ou seja, 39 bibliotecas por dia. Só na rede pública, onde o deficit é maior, nada menos 34 bibliotecas por dia para que a lei fosse cumprida à risca. Pelo que se tem notícia, escolas já nascem sem o espaço da biblioteca, o que sinaliza que as coisas já começam erradas.

Enfim, a discussão acerca da lei e sua real aplicação se estenderá ainda, acredito eu, durante os sete anos que restam para que ela seja de fato implementada e , consequentemente , cobrada. Até lá muita coisa poderá agravar ou amenizar a situação das bibliotecas escolares. O êxito ou o fracasso dessa lei dependerá dos agentes envolvidos, e – espero eu – que esses agentes estejam personificados na sociedade como um todo.

Trabalhos aprovados no 5º EBAI – 2011

5-ebaiDando uma fuçada no site do 5º EBAI – Encontro Brasileiro de Arquitetura da Informação – , realizado em 2011 em Sampa, vi que bem depois de encerrado o evento eles disponibilizaram os trabalhos apresentados. Dentre eles, chamou-me atenção o que trazia o seguinte título “SEARCH ENGINE OPTIMIZATION – SEO: a contribuição do bibliotecário na otimização de websites para os mecanismos de busca“.

Bom, é mais do que gratificante saber que os bibliotecários estão lidando diretamente com a AI, trazendo assim um baita fôlego para as perspectivas de atuação dentro da biblioteconomia.

A seguir, segue o link para o download dos trabalhos apresentados na edição de 2011 e também nas anteriores.

OBS: Segundo informação do site do evento foi dada a largada nos preparativos para a edição de 2013. Vem coisa boa por ai..

Boa leitura!

Livros gratuitos: Cibercultura, Arquivologia e Midias Sociais

De volta com os posts do blog, gostaria de sugerir três e-books que podem ser baixados gratuitamente e que discorrem sobre três assuntos distintos. A seguir uma breve descrição sobre cada um deles e o link para download..boa leitura!

Olhares sobre a cibercultura
Obra que reune os trabalhos do V Simpósio de ABCiber que ocorreu em novembro de 2011 na UFSC.

Clique aqui para download

Estudos avançados em Arquivologia
A coletânea de textos que compõem o livro Estudos Avançados em Arquivologia apresenta quinze capítulos elaborados por dezesseis autores de instituições brasileiras, espanholas e portuguesas.

Clique aqui para download

Mídias Sociais: Conhecendo, aplicando e monitorando
Saber aplicar e monitorar as ferramentas de mídias sociais ajuda você a se manter em constante inovação dentro do que você compartilha, para que você consiga visualizar como a sua marca/empresa está sendo vista nas ferramentas online.

Clique para download

Fonte: Blog CRB6

Censo dos bibliotecários brasileiros

De volta ao blog depois de uma temporada sem postar devido a n fatores, gostaria de comentar um assunto que há muito tem sido pauta de blogs e listas de discussão de Biblioteconomia: o censo profissional dos bibliotecários brasileiros.

O CFB – Conselho Federal de Biblioteconomia -, em sua página na internet, convida os profissionais a preencherem um formulário que foi dividido em duas partes: a primeira contendo informações para cadastramento ( Identificação;Formação Profissional;Atuação Profissional; e Educação Continuada); e a segunda visa apeamento de Competências, visando compreender qual o perfil do bibliotecário que atua no contexto nacional e, cotejando com os aspectos teóricos que dizem respeito ao conjunto de saberes que compõem a sua formação, compreender quais são as fortalezas e debilidades quando de sua ação.”

Vi recentemente um infográfico bem bacana elaborado pela Master Degree Online no site Web Librarian, do Alexandre Berbe, que mostra um panorama bem interessante dos bibliotecários americanos e suas peculiaridades.

Um censo profissional das “terras brasilis” é imprescindível para avaliarmos “com que pernas anda” a Biblioteconomia brasileira, já que a única coisa que sabemos é que hoje existem cerca 30 mil profissionais no mercado, porém, sem quaisquer outras informações adicionais.Aguardemos os resultados do que está sendo preparado pelo CFB e, a partir daí, poderemos discernir quais os ajustes necessários para que a biblioteconomia siga em frente.