O Wolfram Alpha, o novo “motor de buscas” que se propõe a dar respostas diretas às perguntas dos internautas em vez de encaminhá-los a uma lista de sites que contenham a informação surge, como muitos andam a dizer, como um forte concorrente do GOOGLE.
“O principal erro na hora de tentar explicar o Wolfram Alpha é considerá-lo como um “mecanismo de busca”, uma vez que a concepção do termo entre os internautas é de diretórios complexos que agregam links para diversas páginas. Wolfram Alpha está mais para uma calculadora de capacidades avançadas”, afirma o site Geek,que realizou um bateria de testes com a nova tecnologia. “Talvez seja pela atenção que a aplicação, lançada há uma semana, tenha atraído, mas em diversas das buscas realizadas pela Geek a conexão demorou tanto que a busca não retornou resultados.”
Especialistas atribuem ao novo “buscador” a tarefa de nos aproximar da chamada Web Semântica, onde a comunicação entre humano e computador se dará através de uma linguagem natural entre ambos.
O que diferencia o Wolfram Alpha dos buscadores comuns é que “as buscas são feitas em um banco de dados gigantesco compilado por humanos contratados pelo serviço nos últimos meses, que coletavam e editavam informações de diferentes fontes”, afirma o site IDG NOW.
Em um teste realizado no site, pude constatar uma coisa bem interessante: digitando o termo “librarian” ( bibliotecário), o buscador me deu referências relacionadas à ocupação do bibliotecário: número de profissionais empregados (nos EUA), médias e alterações salariais ao longo de um período específico e até adicionais pagos a estes.
A ferramenta, como citado acima, ainda apresenta erros tidos como simples , logo, precisa ser aperfeiçoada.Não cabe a mim aqui ser crítico a esta e recebê-la como uma ameaça à nossa profissão.Pelo contrário:cabe a nós bibliotecários ( estou em andamento) utilizarmos destes mecanismos para o nosso trabalho do dia-a-dia,lembrando que novas tecnologias sempre serão criadas e aperfeiçoadas.Cabe a nós torná-las instrumentos de nosso “ganha pão”.

Anúncios