Estou acompanhando a discussão que está acontecendo no blog do professor Luís Milanesi.Uma das questões que me persuadiu a escrever esse post foi a que se referia à atuação dos alunos de Biblio dentro das salas de aulas.Alunos “samambaias”, foi a expressão que um aluno da Usp usou para descrever os discentes do curso de Biblioteconomia da universidade.Neste caso, ele se referia à falta de participação, senso crítico,iniciativa e vontade de discutir temas -tidos como sem solução- relacionados à futura profissão.Obviamente, isso não é característica exclusivamente nossa (acho que essa expressão já está cansativa).
Mas trazendo para nossa realidade tão dura, podemos analisar esse fenômeno a partir de dois tipos de alunos:a) aquele que carrega a terrível falta de “identificação” com o curso, que dá aquela “deprimente” sensação de ” empurrar com a barriga”.”Não participo, não opino, não leio nada a respeito.O que vier é lucro”.”Nada” contra esse tipo de comportamento.
b)Já o outro tipo de aluno até se identifica com o “negócio”, mas, “é melhor ficar no meu canto”.”Prefiro a morosidade, não tenho nada a declarar,quando me formar vejo que faço e beleza.”
Não sei se esse post deveria ser publicado, mas creio que, nós estudantes, estamos em posição estratégica para mudarmos a nossa forma de trabalhar.Sou otimista com relação à uma nova geração de bibliotecários.Gente nova, que questiona, que debate, que não espera o milagre acontecer, mas sim, participa e corre atrás.Penso comigo, que aqueles que realmente estão dispostos a encarar esse desafio irão encontrar seus lugares.Mas com relação àqueles outros, prefiro “supender meu juízo”.

Anúncios