Estamos – ou pelo menos estávamos – discutindo durante este semetre a situação da bibliotecas escolares brasileiras e, que por sinal, todos nós já conhecemos.Pois bem, o grupo do qual eu fazia parte ficou responsável por observar a produção científica sobre biblioteca escolar no Brasil.

Os resultados foram os seguites:a área da Educação (pedagogia e cursos afins) responde por mais da metade da produção acadêmica sobre biblioteca escolar; os estados da região Norte/ Nordeste apresentam de uns tempos pra cá expressiva participação na produção científica, apesar da maioria das teses e dissertações ainda serem produzidas na região sudeste e, por último, grande parte dos pesquisadores possuem vivência anterior na área de educação, mediação da leitura e biblioteca escolar.

Para eu que acompanho de perto a situação de uma biblioteca escolar, poderia dizer que os resultados, ainda que os mesmos não mensurem quantativamente a realidade de fato, nos indicam que há uma mudança quanto a valorização desse espaço no âmbito escolar.É lógico que existem problemas que só servem para degradar a educação já tão sucateada, como por exemplo a “rixa” (não generalizando, é claro) entre profesores e bibliotecários, vista nitidamente em muitas escolas.

Mas acredito que a produção e explanação da biblioteca escolar tende a aumentar daqui pra frente, até mesmo por causa da aderência de pesquisadores de outras áreas.O que não acredito, e isso serve pra educação como um todo, são em ações de cunho explicitamente filantrópicos, como por exemplo encher os alunos com kits de livros( que posteriormente são queimados, jogados no lixo e etc) desejando que os mesmos leiam a qualquer custo, quando na verdade a prática de leitura está anos-luz de distância destes por razões de cunho social, econômico e familiar.

Anúncios