A revista EXAME publicou em seu site (hoje), uma reportagem que fala sobre as funcionalidades da Web 2.0 nas grandes corporações.A seguir, reproduzo a reportagem e, logo após, acrescento minhas considerações.

Portal EXAME -Cada vez mais empreendedores descobrem que as ferramentas da web 2.0, como redes, wikis e blogs, podem ser uma forma eficiente e barata de viabilizar a colaboração entre funcionários e aprimorar processos. O sucesso dessas iniciativas depende do engajamento dos usuários – e não de ordens do dono da empresa. Veja algumas formas de estimulá-los a participar:

1. Dar o primeiro passo

Os empreendedores e seus funcionários mais próximos devem usar as ferramentas logo no início. Exemplo: O principal executivo de TI da Lockheed Martin, que fabrica aviões e equipamentos militares, criou o primeiro blog da empresa e pediu que outros diretores fizessem o mesmo. Com isso, boa parte dos funcionários passou a participar das discussões

2. Recrutar primeiro os entusiastas

Funcionários que possam iniciar boas discussões devem ser chamados a participar antes dos demais. Exemplo: Ao implantar blogs e wikis, a Procter&Gamble convidou primeiro os funcionários já familiarizados com essas tecnologias. Chamou também os pesquisadores mais renomados da empresa. A ideia era ter uma base inicial já ativa antes de convidar todo mundo

3. Definir uma utilidade

Entre uma ferramenta que realmente ajude os funcionários e outra cujo uso não é claro, fique com a primeira. Exemplo: A wiki do estúdio de animação Pixar foi implantada para que os animadores dividissem informações sobre os filmes em desenvolvimento. A troca apenas por texto não deslanchou. Eles só se interessaram quando puderam compartilhar imagens e vídeos

4. Estimular o que já funciona

É melhor aproveitar o uso que os funcionários já adotaram para uma ferramenta do que impor outra finalidade. Exemplo: Na operadora de telefonia AT&T, a equipe começou a usar as ferramentas da web 2.0 para gerir projetos de forma colaborativa. A empresa deu apoio à iniciativa e, em um ano, os funcionários participantes subiram de 65% para 95%

5. Premiar com visibilidade

Quem dá contribuições de qualidade deve ser destacado – na ferramenta e também em eventos da empresa. Exemplo: Na siderúrgica ArcellorMittal, o número de boas contribuições em sua rede subia quando os funcionários mais ativos recebiam prêmios em eventos internos – o que não ocorria quando o reconhecimento não era público

(Fonte: McKinsey)

Comentário

Não é de hoje que se propaga o quanto a Web 2.0 – diferenciada da versão anterior por sua maior interatividade entre os usuários- tornou-se uma forma diferenciada de comunicação. As empresas, que não perdem uma change sequer, encontraram ferramentas baratas e de grande poder de alcançe para atingir seus objetivos e se tornarem mais inovadoras.A pergunta que não quer se calar: o que resta para que as bibliotecas venham a aderir a essa “onda” também???

Anúncios